História e Território

Registado em 2016-06-01 22:36:20. Última alteração a 2016-06-01 22:39:23.

História

A ADDLAP - Associação de Desenvolvimento Dão, Lafões e Alto Paiva é uma associação sem fins lucrativos, que tem por objeto promover o Desenvolvimento Rural Integrado, dinamizando e valorizando a inter-municipalidade num espírito de cooperação regional e nacional com entidades públicas e privadas que prossigam a mesma finalidade.

A ADDLAP nasceu da tomada de consciência dos Municípios e Instituições que a integram, de que a similitude dos seus problemas os obriga à tomada de uma atitude coletiva que, embora salvaguardando uma ou outra especificidade, perspetiva um desenvolvimento harmonioso das suas populações, tendo por base as potencialidades endógenas capazes de introduzirem a diversificação das atividades económicas predominantes, com a consequente criação de riqueza e bem-estar.

Constituiu-se em 22 de Julho de 1994 por escritura pública no Cartório Notarial de Viseu. Surgiu para implementar o programa LEADER II na área de intervenção, dado que os territórios adjacentes já tinham beneficiado desta iniciativa, nomeadamente o LEADER I. Com este Programa ganhou autonomia para ter outras valências, nomeadamente a formação e a cooperação nacional e transnacional. Durante o período de vigência do LEADER+ teve bastante dinâmica no território, tendo beneficiado da implementação de vários programas e iniciativas (Centros Rurais, Planos de Intervenção, Formação, INTERREG).

Sistematizando, a atividade inicial da Associação centrou-se na elaboração de um diagnóstico de necessidades da área de intervenção, com o objetivo principal de se candidatar ao Programa LEADER II e a outras iniciativas promotoras do desenvolvimento local integrado e de um plano de desenvolvimento para a sua área de intervenção, com a participação ativa de todos os parceiros e os diferentes atores que desempenham um papel ativo no território.

Território

O território do ADDLAP, abrangendo cinco concelhos pertencentes ao distrito de Viseu – Oliveira de Frades, São Pedro do Sul, Vila Nova de Paiva, Viseu e Vouzela – região Centro – apresenta um conjunto de fatores diferenciadores que concorrem para a sua afirmação como espaço de múltiplas oportunidades.

Caracterizando-se por ser um território de montanha, influenciado pela Serra da Gralheira (concelho de São Pedro do Sul), Serra de Leomil (Vila Nova de Paiva) e Serra do Caramulo a sul (Oliveira de Frades), é um território densamente irrigado. Os rios Vouga, Paiva e Dão são as linhas de água mais representativas. A região tem ainda dois espaços que integram a Rede Natura, como Sítios de Importância Comunitária pertencentes à região biogeográfica mediterrânica: o Sítio do Rio Paiva (Vila Nova de Paiva) e o Sítio do Cambarinho (Campia – Vouzela) que alberga uma das maiores populações nacionais de loendros.

Neste território encontra-se um dos principais centros da rede urbana nacional e regional – a cidade de Viseu, com fortes interdependências aos espaços envolventes caracteristicamente rurais ou, pela força das dinâmicas urbanas que extravasam os limites da cidade, se assumem cada vez mais como “rurbanos”. A realidade aqui encontrada é o exemplo evidente das novas lógicas de organização e funcionalidade dos padrões de apropriação humana, nas quais se encontram exemplos como o rural industrializado, o rural não agrícola das áreas de segunda ou de primeira residência dos que trabalham na cidade, o rural profundo onde tudo parece permanecer desde a origem ou ainda o rural da base económica especializada.